ACESSIBILIDADE

-A

A

+A

MENU

Turismo

Uberaba – Uma nova cidade para o turismo

 

Uberaba possui vasto potencial turístico, indo desde a exploração do artesanato ao patrimônio histórico cultural. A tradição mora em cada canto da cidade, e a religiosidade é representada por belas igrejas católicas e pelo espiritismo, que tem como ícone o médium mundialmente reconhecido Francisco Cândido Xavier – “Chico Xavier”. As manifestações culturais estão presentes em festas como Folias de Reis, Congado, Festivais de Viola e Catira.

 

A forte vocação agropecuária acompanha Uberaba desde a sua fundação. Mas são suas inovações tecnológicas que elevam a cidade ao patamar de referência mundial no melhoramento genético e zebuíno de elite. Resultados desses trabalhos atraem pecuaristas de todas as partes do planeta.

 

A cidade também se destaca pelo seu sítio paleontológico de aporte nacional, com descobertas importantes realizadas pela equipe de escavações do Museu dos Dinossauros. O bairro rural de Peirópolis tem réplicas de dinossauros em tamanho natural, fósseis de milhões de anos e clima agradável junto à natureza.

 

Assim é o entorno do município de Uberaba, que reserva paisagens incríveis de um verde sem igual, possibilitando grande diversidade de práticas esportivas e de lazer em um ambiente de exuberância natural. Suas cachoeiras com águas claras e brilhantes são a tradução indígena do nome da cidade.

 

Uberaba integra o Circuito Turístico Rota do Triângulo, entidade que envolve municípios da Triângulo Mineiro. Sua localização é estratégica, já que está equidistante de capitais nacionais de importância reconhecida, ligadas por via aérea ou pelas melhores rodovias do País.

 

O Município fomenta ações e eventos do turismo receptivo, que abre para o turista toda sua infraestrutura de hotéis, clubes, parques, centros de eventos e calendário dos seus principais acontecimentos.

 

Esta é Uberaba para o turista. Receptiva, calorosa e encantadora. Um destino marcante para aqueles que a visitam vindos de todo o Brasil e do mundo.

 

Localização 

 

O município de Uberaba situa-se na microrregião do Triângulo Mineiro, no Estado de Minas Gerais, com latitude sul 19°45’27" e longitude oeste a 47°55’36". Uberaba está equidistante, num raio de 500 Km, dos principais centros consumidores do Brasil.

 

Origens e trajetória histórica de Uberaba

 

Uberaba tem sua origem na ocupação do Triângulo Mineiro, que ficou sob a jurisdição de Goiás até 1816. A região começou a ter importância preciosa, que consistia em uma das metas administrativas da Coroa Portuguesa, o governador da Capitania de São Paulo e Minas Gerais articulou a abertura de uma estrada. Esta missão ficou a cargo de Bartolomeu Bueno da Silva Filho (filho de Anhanguera). A expedição era composta de 152 homens, entre os quais 20 índios carregadores e 3 religiosos, e 39 cavalos. Ela partiu de São Paulo pelos rios Atibaia, Camanducaia, Moji-Guaçu, Rio Grande, Rio das Velhas e penetrando em Goiás pelo Corumbá. Segundo alguns relatos da época, a expedição passou por terras de Uberaba. Esta rota ficou conhecida como Estrada Real ou Anhanguera, que consistia em um importante caminho para que as autoridades portuguesas implementassem a colonização, a produção e escoamento dos minerais preciosos. Na verdade, a maioria das riquezas minerais do Brasil foi levada para Portugal e utilizada para o pagamento de suas dívidas em relação à Inglaterra. Posteriormente, a expedição do filho de Anhanguera fundou, em 1725, o povoado de Vila Boa em Goiás.

 

Outra estrada mais a oeste foi aberta em 1736, passando por terras de Araxá em direção à Vila Boa, denominada Picada de Goiás.

 

A exploração e o povoamento de todo o Triângulo Mineiro, de modo geral, aconteceram como em todo o Brasil Colônia, pelo amansamento e extermínio das populações indígenas e dos negros nos quilombos.

 

As estradas para Goiás tornaram-se palco de batalhas entre os exploradores dos sertões e os nativos.

 

Diante disso, o governo de Goiás viabilizou a segurança das estradas e, por isso, nomeou, em 1742, o coronel Antônio Pires de Campos para policiar, amansar e até mesmo exterminar os silvícolas rebeldes, fato constatado com a matança dos Caiapós.

 

Em 1766, foi criado o Julgado de Nossa Senhora do Desterro do Desemboque, sob a administração de Goiás, local rico em minas auríferas e de intensa exploração. A posse desse arraial por Goiás era vantajosa aos moradores, pois estavam livres do pagamento de imposto sobre minerais, denominado "derrama", cobrado em Minas Gerais.

 

Desemboque teve o seu esplendor até 1781, quando as minas auríferas se esgotaram.

 

Prosseguindo a exploração das terras, o governo de Goiás, para dinamizar a administração dos Sertões, nomeou, pela Portaria de 1809, Antônio Eustáquio da Silva Oliveira (natural de Ouro Preto) para a função de comandante regente dos Sertões da Farinha Podre (Triângulo Mineiro), e em 1811 foi nomeado pelo Ato Governamental, curador de índios.

 

Em 1810, major Eustáquio liderou uma Bandeira até o rio da Prata, passando por terras de Uberaba.

 

Outra expedição, chefiada por José Francisco Azevedo, atingiu a cabeceira do ribeirão Lajeado, fundando o Arraial da Capelinha, aproximadamente a 15 km do rio Uberaba. Entretanto, este local não se desenvolveu por falta de água e terras férteis, conforme constatou major Eustáquio em visita ao Arraial.

 

Consequentemente, o regente dos Sertões comanda outra Bandeira com 30 homens e procura por novas terras para se estabelecerem. Atingem o rio Uberaba e fixam-se na margem esquerda do córrego das Lajes, onde foi edificada a Chácara da Boa Vista (hoje Fazenda Experimental da Epamig).

 

Junto com major Eustáquio vieram fazendeiros e aventureiros. Eles passaram a produzir e comercializar com as caravanas que ligavam Goiás a São Paulo.

 

Algum tempo depois, major Eustáquio construiu sua residência na Praça Rui Barbosa atual Hotel Monte Carlo Uberaba. 

 

Grande número de pessoas, sabendo das condições propícias de Uberaba e do prestígio e segurança que o comandante major Eustáquio oferecia, imigrou para o novo arraial. Eram boiadeiros, mascates, comerciantes, criadores de gado, ferreiros, etc.

 

Os moradores logo ergueram uma capela tendo como oragos Santo Antônio e São Sebastião, benzida em 1818 pelo padre Hermógenes Cassimiro de Araújo Brunswick, do Desemboque. Assim foi estabelecido o reconhecimento do povoado pela Igreja. Esta instituição representava prestígio decisório junto aos governos.

 

Visto que em 2 de março de 1820, o rei D. João VI decretava a elevação de Uberaba à condição de Freguesia.

 

O Decreto Real constituiu um grande avanço para a comunidade. Significou a emancipação e gerência própria em assuntos de ordens civil, militar e religiosa. Foi o reconhecimento oficial tanto pela Igreja como pelo Governo Real.

 

Uberaba foi crescendo e as terras foram ocupadas formando-se extensas propriedades, devido ao baixo valor da terra e isenção de impostos sobre elas. Em pouco tempo, reuniu-se seleta população de agricultores, pecuaristas e comerciantes e outras profissões, fato que viabilizou o Governo Provincial de Minas Gerais a criar o município de Santo Antônio de Uberaba, em 1836.

 

Uberaba, em 1840, passou a sediar uma comarca para distribuir a justiça na região.

 

A importância regional da Vila de Santo Antônio de Uberaba era próspera, tanto que mereceu o título de Cidade em 1856, tornando-se um importante centro comercial que se acentuou com a inauguração da Estrada de Ferro em 1889. Isso foi um acontecimento facilitador da imigração europeia para a cidade e do desenvolvimento da pecuária zebuína.

 

A riqueza econômica refletiu na estrutura urbana onde surgiram requintadas construções no estilo eclético.

 

No século XX, a cidade demonstra um crescimento da agricultura, da pecuária, da indústria e do comércio, atendendo as demandas nos aspectos econômicos, culturais e de serviços essenciais à população.

 

Hoje, Uberaba representa um centro comercial dinâmico, uma agricultura produtiva, um parque industrial diversificado e uma planejada estrutura urbana.

 

Dada à importância histórica de 02/03/1820, quando a cidade foi elevada à Freguesia, o Município instituiu, oficialmente, como a data que se comemora o aniversário de Uberaba.

 

Parabéns aos uberabenses que, de maneira harmônica, têm cumprido sua cidadania, preservando os valores culturais de nossa terra e valorizando a qualidade de vida da população!

 

Marta Zednik de Casanova

 

Historiadora e coordenadora de Pesquisa do Arquivo Público de Uberaba

 

Circuito Turístico Rota do Triângulo

 

A Associação do Circuito Turístico Rota do Triângulo (IGR) tem por finalidade e objetivos orientar, assessorar e estimular atividades relativas de relevância pública local e regional no contexto turístico considerando o desenvolvimento cultural, social, ambiental e econômico visando à sustentabilidade do setor e ao fortalecimento de vínculos comunitários.

 

A Associação do Circuito Turístico Rota do Triângulo desenvolverá e apoiará ações, no âmbito dos associados. No desenvolvimento das suas atividades, a IGR – Rota do Triângulo contempla em seu quadro os seguintes Municípios Associados.............................................. 

 

Projeto Geopark Uberaba – Terra de Gigantes

 

Geoparque é um programa criado pela Organização das Nações Unidas (Unesco) para a Educação, a Ciência e a Cultura para a conservação e valorização de uma área com um rico patrimônio geológico. Somado à importância histórica, cultural e ecológica, um Geoparque traz à população local desenvolvimento econômico sustentável por meio do turismo. 

 

O Projeto Geopark Uberaba – Terra de Gigantes envolve toda a extensão do Município. Integra espaços chamados de sítios históricos e culturais e geossítios que, dispersos pela cidade, retratam as riquezas geológicas, a herança histórica e a cultura local, e vão impulsionar o desenvolvimento regional, por sua valorização e vocação turística.

 

No primeiro pilar, somos representados pelos dinossauros que aqui habitaram há milhões de anos e que abrem as portas para o turismo ecológico, educativo, científico e de aventuras. O patrimônio geológico de Uberaba é destaque no mundo com os importantes achados paleontológicos de nossa região.

 

Apoiamos o segundo pilar na relevância do gado Zebu, que chegando a nossa cidade desenvolveu parte da economia e de nossa cultura. O Zebu marca a potência de Uberaba no agronegócio mundial, simboliza o turismo de eventos, cultural e de negócios. 

 

Representados pelo ícone Chico Xavier, no terceiro pilar, temos a força, a diversidade e significância da religiosidade local. Suntuosas igrejas, festas religiosas, a cultura afrobrasileira e a força do espiritismo convivem em harmonia e fazem parte da vertente do turismo religioso.

 

Além de nossos gigantes representantes, estamos envolvidos com diversas instâncias do Poder Público, universidades, organizações do terceiro setor e empresas. Chegou a hora de nossa gente se reconhecer como parte desse processo, para que digamos ao mundo que o Geopark Uberaba é Terra de Gigantes.

 

Peirópolis

 

Peirópolis é um distrito rural de Uberaba, localizado à margem da rodovia BR-262, a cerca de 20 km do centro da cidade.

 

No começo do séc. XX, destacou-se como produtor de calcário e atualmente é uma atração turística do Município em função dos fósseis encontrados nas imediações.

 

Desde a década de 1940, descobertas paleontológicas traziam notoriedade para a região, quando fósseis de ossos haviam sido encontrados durante obras de retificação da linha da Cia. Mogiana.

 

O nome Peirópolis foi dado em homenagem a Frederico Peiró, que em 1911 fundou duas fábricas para a extração de calcário na região, empregando cerca de 150 trabalhadores, que escoavam sua produção para São Paulo por meio da linha férrea.

 

Após a desativação do trecho da ferrovia por onde escoava a produção, Peirópolis só voltou a ter destaque com a descoberta de fósseis na região.

 

Terra dos Dinossauros

 

O paleontólogo gaúcho Llewellyn Ivor Price (1905-1980), considerado o pai da paleontologia brasileira, começou a trabalhar em Peirópolis em 1947 e permaneceu na região até 1974.

 

Realizou uma escavação sistemática na região de Caieira, entre 1949 e 1961. Como resultado, foram recuperadas centenas de ossos fossilizados do período Cretáceo Superior (100 a 65 milhões de anos atrás), sobretudo de dinossauros do grupo dos titanossauros.

 

Todo o acervo de fósseis coletado pelo renomado paleontólogo e seus auxiliares, ao longo de três décadas, integra a coleção do Museu de Ciências da Terra do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), no Rio de Janeiro.

 

Hoje, Uberaba é mundialmente conhecida como a Terra dos Dinossauros do Brasil com a maior quantidade de espécies do País. Seus fósseis, excepcionalmente bem preservados, em quantidade e diversidade singulares, é o que possibilita manter esse título.

 

• Geossítio Peirópolis

 

O Geossítio Peirópolis é, sem dúvida, o ponto de maior relevância do Patrimônio Geológico dentro do Projeto Geopark Uberaba. Ele se destaca pela quantidade, diversidade e grau de preservação de milhares de organismos fósseis com idade entre 80 e 66 milhões de anos atrás, além de ser a região com o maior número de espécies descritas no País, como o maior deles, o gigante Uberabatitan ribeiroi que chegava a atingir 27 m de comprimento e 10 de altura. Outra marca importante é a primeira ocorrência de ovos no País, sendo que Uberaba é a única cidade a conter tais exemplares inteiros e em excelente grau de preservação.

 

Seu gramado é um lugar perfeito para a realização de piqueniques, práticas de yoga, observação do céu e para várias outras atividades de lazer. O local também recebe eventos que estão se tornando tradicionais na região, como o Festival de Inverno. Para receber bem o turista, há restaurantes e lanchonetes. Peirópolis também conta com pousadas que remetem ao sossego de uma vida no campo.

 

As cachoeiras e trilhas são atrativos à parte para quem gosta de natureza e aventura. Peirópolis possui uma comunidade modesta, mas objetivada no futuro. Juntos caminham a passos largos para adequar o turismo rural na linha do turismo moderno, capaz de atender bem aos turistas que as visitam. 

 

Turismo Sustentável

 

O Geossítio Peirópolis possui diversas atrações para encantar o visitante. Seus museus contam com um rico acervo de fósseis de dinossauros e outros vertebrados, além de painéis explicativos sobre a evolução das espécies e dioramas que reconstituem os cenários da vida dos animais e vegetais que habitaram a região de Uberaba há milhões de anos.

 

Seu gramado é um lugar perfeito para a realização de piqueniques, práticas de yoga, observação do céu e para várias outras atividades de lazer. O local também recebe eventos que estão se tornando tradicionais na região, como o Festival de Inverno.

 

Para receber bem o turista, há restaurantes e lanchonetes. Peirópolis também conta com pousadas que remetem ao sossego de uma vida no campo.

 

As cachoeiras e trilhas são atrativos à parte para quem gosta de natureza e aventura. Importante lembrar que, quem visita, deve cuidar desse patrimônio e não deixar espalhado lixo por lá.

 

Peirópolis possui uma comunidade modesta, mas objetivada no futuro. Juntos caminham a passos largos para adequar o turismo rural na linha do turismo moderno, capaz de atender bem a todos os visitantes.

 

Mais informações podem ser obtidas na Casa do Turista de Peirópolis, localizada na Rua Estanislau Collenghi, n° 195. Funcionamento: de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Aos sábados, domingos e feriados, das 8h às 18h. Telefone de contato: (34) 3338-1558.

 

O Complexo Cultural e Científico de Peirópolis – CCCP

 

Prédio sede da extinta Rede Nacional de Paleontologia, atualmente parte do Complexo Científico Cultural de Peirópolis.

 

O Centro de Pesquisas Paleontológicas “Llewellyn Ivor Price” constitui o Museu dos Dinossauros e a extinta Rede Nacional de Paleontologia, hoje sede do CCCP. Criado em 2010, é um centro de referência nacional em paleontologia que desenvolve atividades de pesquisa, ensino e extensão.

 

Possui 1.500 fósseis tombados em sua coleção científica, principalmente do Cretáceo Superior (entre 93 e 66 milhões de anos), a grande maioria de Uberaba, mas também das bacias geológicas do Paraná, Parnaíba, Potiguar e do Araripe, fósseis provenientes de salvamentos paleontológicos realizados em obras de grande porte.

 

Abriga exemplares como o Uberabatitan ribeiroi, o maior dinossauro brasileiro já encontrado. Fósseis de três indivíduos dessa espécie foram descobertos em 2004, na região de Serra da Galga, entre as cidades de Uberaba e Uberlândia, durante a realização das obras da duplicação da rodovia BR-050. O trabalho de retirada dos fósseis foi concluído em 2006, após técnicos escavarem manualmente cerca de 300 toneladas de rochas que datavam do período Cretáceo e Paleogeno para a extração do material.

 

O museu tem permanentemente duas exposições: O Museu dos Dinossauros, propriamente dito, e outro espaço em musealização na sede do CCCP, que juntos contemplam uma das mais interessantes, atualizadas e didáticas exposições de paleontologia do interior do País.

 

As mostras permitem aos visitantes uma viagem no tempo, em face à quantidade, diversidade, grau de preservação de seus fósseis.

 

Funcionamento: terça a sexta-feira, das 8h às 17h; e aos sábados, domingos e feriados, das 8h às 17h30. Entrada franca.

 

Mais informações: 

 

http://www.uftm.edu.br/proext/cccp

 

Reservas para excursões:

 

E-mail: cccp@uftm.edu.br

 

Telefone de contato:  (34) 3338-1526

 

Chico Xavier 

 

Médium nascido em 02/04/1910, em Pedro Leopoldo-MG, se radicou em Uberaba em 1959. Faleceu em 30 de junho de 2002, “em um dia de grande alegria para o povo brasileiro”, conforme houvera prometido em vida. (Dia em que o Brasil sagrou-se pentacampeão mundial de futebol em Tóquio, Japão).

 

De origem humilde, tornou-se mundialmente conhecido por sua obra espírita e pela atenção e carinho dispensados a todos os que o procuravam em busca de auxílio espiritual, na Casa da Prece. Mais de quatrocentos livros por ele psicografados já foram editados, alguns em vários idiomas.

 

Chico Xavier foi cognominado pela comunidade espírita como “O Consolador”.

 

No ano de 2000 foi escolhido “O Mineiro do Século” e o Governo do Estado de Minas Gerais instituiu a “Comenda da Paz Chico Xavier”.

 

» Casa da Prece 

 

Atendimento: aos sábados, a partir das 20h.

 

 Avenida João XXIII, 1.495 - Parque das Américas

 

» Casa de Memórias e Lembranças 

 

A residência de Chico Xavier foi transformada em Museu, com todos os seus pertences pessoais.

 

 Rua Dom Pedro I, nº 165 – Parque das Américas

 

Visitação: segunda a sexta, das 8h às 11h e das 13h às 17h30, e aos sábados, das 8h às 12h

 

Contato: (34) 3336-5967

 

e-mail: livrariascx@ig.com.br

 

» Túmulo

 

O túmulo de CHICO XAVIER, no Cemitério São João Batista, recebeu tratamento arquitetônico diferenciado promovido por admiradores.

 

Cemitério São João Batista - Avenida Maria Santana Borges, 1

 

Visitação: todos os dias, inclusive feriados, das 7h às 18h

 

Contato: (34) 3313-7818

 

0800 940 0101

Todos por Uberaba

0800 942 3160

Saúde Atende

156

Ouvidoria-Geral

Atendimento ao público: 12h às 18h

Av. Dom Luiz Maria Santana, 141 - Santa Marta - CEP.: 38061-080 - Uberaba/ MG - Tel.: (34) 3318-2000

CODIUB © 2022 GOVERNO MUNICIPAL DE UBERABA. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.